Última revolta monárquica em Albergaria-a-Velha foi há cem anos

Última revolta monárquica em Albergaria-a-Velha foi há cem anos

172
república
Dreamweb - Agência de Comunicação

O Município de Albergaria-a-Velha assinalou, ontem dia 28 de Janeiro, os cem anos da abolição definitiva da Monarquia no Concelho com a palestra Centenário da Monarquia do Norte ou Traulitânia em Albergaria-a-Velha. Na Biblioteca Municipal explicou-se o contexto político e social da época e foram relatados os principais momentos dos confrontos entre republicanos e monárquicos que deixaram a população aterrorizada durante mais de uma semana.

Em Albergaria-a-Velha, a instabilidade também era regra: de 1911 a 1919, houve 28 Administradores do Concelho (representantes do Governo) e 13 Presidentes de Câmara. Na noite de 19 de Janeiro de 1919, correu o boato de que a Monarquia tinha sido restaurada no Porto e, na manhã seguinte, foi hasteada a bandeira monárquica no Edifício dos Paços do Concelho. Foi o início dos confrontos entre republicanos e monárquicos, com colunas militares das duas facções a virem de toda a região e a transformarem o Concelho – nomeadamente as margens do Rio Vouga, entre Angeja e S. João de Loure – num campo de batalha.

Através de uma cronologia diária dos eventos foram apresentados os avanços e recuos das confrontações. Pontes destruídas, populações em fuga e uma grande confusão geral pautaram a semana. Apesar do cenário de guerra, só faleceram dois albergarienses, sendo os outros mortos militares vindos do exterior.

A 28 de Janeiro de 1919, hasteou-se, definitivamente, a bandeira republicana nos Paços do Município e, desde então, nunca mais o Concelho deixou de ser republicano.

Fonte: CM Albergaria

Smartfire - Aquecimento e Climatização